domingo, 22 de julho de 2012

Seu bem estar físico e seu colchão!!!

 

O local onde o corpo repousa é um dos maiores responsáveis pela saúde da coluna, que se reflete no bem estar físico psíquico e na qualidade de vida das pessoas. Dormir mal ocasiona dores nas costas, que acabam afetando o desempenho das atividades cotidianas em casa e no trabalho. Nós passamos um terço da nossa vida dormindo. Isso significa que o modo de dormir, onde dormir e a forma do sono têm importância fundamental. Se nós precisamos tomar certos cuidados com a saúde quando estamos acordados, devemos também tomar cuidado com o ato de dormir. Daí a importância de um colchão ideal, que quando corretamente escolhido traz os grandes resultados. Separamos um guia completo para você escolher o modelo ideal de colchão e nunca mais acordar exausta ou com dor nas costas.


Para comprar o certo
- Leve sempre em conta seu peso e altura: as lojas têm tabelas que indicam a densidade para cada corpo.
- No caso dos colchões de casal, considere os quilos da pessoa mais pesada.
- Se você se mexe muito à noite, prefira recheios firmes, que não saem do lugar.
- Consulte um bom vendedor e não sinta vergonha de testar vários modelos antes de fechar a compra.
- Fique uns minutos deitada para testar se o colchão é bom mesmo. Concentre-se!
- Se você é casada, leve seu companheiro à loja com você e testem juntos cada modelo.


Macio ou firme?
- O colchão deve ser confortável, deixando a coluna alinhada e os músculos relaxados. Não pode ser nem mole nem duro demais.
- Colchão muito mole entorta a coluna e causa dor nas costas.
- Já o colchão duro pode provocar dores nos ombros, quadris e juntas, além de cansar a musculatura.


Qual a hora de virar?
- Para prolongar a vida do seu colchão e evitar que ele comece a formar buracos, é indicado virá-lo.
- Ele deve ser virado de duas formas: a face de cima para baixo; e a parte
dos pés para a cabeceira.
- Nunca deixe o colchão mais de três meses na mesma posição. O ideal é repetir esse procedimento uma vez por mês.
- O colchão deve ser trocado, em média, depois de oito anos de uso.


O colchão errado pode provocar...
- Câimbras
- Cansaço
- Desvio de coluna
- Dores musculares
- Dores nas costas e região lombar
- Falta de concentração
- Hérnia de disco
- Insônia
- Irritabilidade
- Má circulação e formigamento


Os tipos mais comuns de colchão


De espuma de poliuretano
Trata-se do tipo mais vendido, feito com espuma comum. As alturas e densidades variam bastante, então, consulte a tabela dos fabricantes. É também o modelo mais barato, por isso, pode ser trocado com frequência. Deforma rapidamente.


De molas Bonnel
Possui molas entrelaçadas cobertas por uma fina camada de espuma. É mais indicado para solteiros porque, quando uma pessoa se mexe num canto do colchão, o outro lado balança. Durável e bem pesado, exige força e cuidado ao ser manuseado.


De molas ensacadas (Sistema Pocket)
Indicado para casais, tem molas envolvidas uma a uma, garantindo conforto e durabilidade. Costuma levar em um dos lados uma camada de espuma chamada de pillow top. Essa camada especial proporciona conforto extra, mas impede que o colchão seja virado periodicamente.


De látex
Tem material macio e muito durável, o que o torna um colchão bastante confortável, pois se adapta ao contorno do corpo. Bom para pessoas alérgicas, esse modelo costuma vir com tratamento contra fungos, ácaros e bactérias.


De viscoelástico
Tem tecnologia usada por astronautas e uma espuma que se molda ao corpo e não deforma, oferecendo boa sustentação à coluna. Suporta pessoas de qualquer peso e altura sem necessidade de se consultar a tabela. Pena que é um dos mais caros...



Agora faça uma análise no seu colchão, no seu corpo e no seu sono, e verifique se já está na hora de trocá-lo!

fonte: fidigital.com.br(clube do Pilates)

Nenhum comentário:

Postar um comentário