domingo, 8 de janeiro de 2012

Princípios básicos do Pilates!!

Baseando-se em princípios da cultura oriental (concentração, equilíbrio, percepção, controle corporal e flexibilidade), e da cultura ocidental (força e tônus muscular), o Pilates configura-se pela tentativa do controle o mais consciente possível dos músculos envolvidos nos movimentos. A isto se convencionou chamar de “contrologia”
Assim, o método Pilates se baseia em fundamentos anatômicos, fisiológicos e cinesiológicos, e é compreendido em seis princípios:

Concentração: É importante colocar atenção nos movimentos executados nos exercícios, unir a mente a cada um deles, visualizando o passo seguinte para que o sistema nervoso central escolha a melhor combinação de músculos na hora de realizá-los. Quando o corpo e a mente funcionarem como uma equipe, você conseguirá realizar um programa de exercício perfeito.

Controle: Movimentar-se sem controle pode causar uma lesão. Quando se trabalha concentradamente, adquire-se um controle sobre todos os movimentos. Esse controle foi chamado por Joseph Pilates de "Arte do controle".
“Concentrar-se nos movimentos certos cada vez que você faz um exercício. Caso contrário, você os executará de forma inadequada e eles perderão seu valor”.

Precisão: É indispensável concentrar-se nos movimentos com precisão, caso contrário eles perderão toda sua eficácia. Deve-se trabalhar com qualidade e não com quantidade.

Centramento: A este princípio Pilates chamou de Powerhouse ou centro de força, o ponto focal para o controle corporal. Constitui-se pelas quatro camadas abdominais: o reto do abdome, oblíquo interno e externo, transverso do abdome; eretores profundos da espinha, extensores, flexores do quadril, juntamente com os músculos que compõe o períneo. Este centro de força forma uma estrutura de suporte, responsável pela sustentação da coluna e órgãos internos. O fortalecimento desta musculatura proporciona a estabilização do tronco e um alinhamento biomecânico com menor gasto energético aos movimentos.

Respiração: Joseph Pilates afirmava que freqüentemente respiramos errado e usando apenas uma fração da capacidade do pulmão. Por isto Pilates, em seu trabalho, enfatizava a respiração como o fator primordial no início do movimento, fornecendo a organização do tronco pelo recrutamento dos músculos estabilizadores profundos da coluna na sustentação pélvica e favorecendo o relaxamento dos músculos inspiratórios e cervicais. O ciclo respiratório proposto pelo método ocorre na seguinte ordem cronológica: 1) Inspiração torácica; 2) Expiração do tórax superior; 3) Expiração do tórax inferior e 4) Expiração abdominal. Este ciclo deve ser sincronizado ocorrendo ao mesmo tempo da ação muscular, favorecendo o incremento da ventilação pulmonar, a melhora da oxigenação tecidual, conseqüentemente a captação de produtos metabólicos associados à fadiga.
Durante a realização dos movimentos, respirar de forma correta, ou seja, inspirar para se preparar para o movimento e durante a execução do movimento deve-se expirar.

Movimento Fluido: Os exercícios não devem ser demasiado rápidos nem demasiado lentos, nem devem ser feitos com gestos abruptos que possam prejudicar o corpo. O trabalho consiste uma sucessão de exercícios que fluem numa vigorosa dinâmica.
Fluidez, harmonia e beleza: Esta tríade define o que devemos buscar ao executar os movimentos durante o exercício
.

Fonte: Internet

2 comentários:

  1. Podemos definir uma sessão de Pilates como “sistema de movimentos rítmicos e dinâmicos marcados por uma respiração adequada e realizados com controle”.

    ResponderExcluir
  2. Disso tudo resulta numa disposição renovada....

    ResponderExcluir